O que servir em eventos corporativos

Quando o clima organizacional está ruim, a equipe desmotivada ou a empresa está perdendo espaço, nada como reunir os colaboradores para realinhar os objetivos. No entanto, sempre surge uma grande dúvida: o que servir em um evento corporativo?
Sabemos bem que o buffet é um serviço indispensável, pois confere importância para a ocasião, permite planejar melhor a distribuição dos alimentos e bebidas, além de ser um diferencial para firmar ótimas negociações.
Neste post, para que você tenha noção do que combina mais com cada ocasião, trouxemos um miniguia com dicas precisas para não fazer feio no dia. Confira!

Informe-se sobre o público

A princípio, o primeiro detalhe que é preciso tomar nota é o perfil do público presente no evento, pois isso será decisivo na escolha do cardápio. É fundamental verificar esse tipo de informação, porque o convite pode ser destinado não apenas aos colaboradores, mas acionistas, clientes, fornecedores, personalidades da área, entre outras partes interessadas no negócio.
Alguns nichos de mercado pedem mais sofisticação, tais como as áreas de Direito, Medicina e Economia, por isso, vale apostar em um buffet à francesa, tendo em vista que é mais requintado e formal. É necessário também ficar de olho na faixa etária dos convidados, visando fatores como quantidade de comida, restrições alimentares, tipos de sobremesa e assim por diante.

Escolha o tipo de evento

Tendo em vista a definição do público-alvo que a empresa pretende focar, chega a hora de organizar e planejar qual o tipo de evento tem mais a ver. Isso está diretamente ligado com os propósitos do negócio, ou seja, se a empresa pretende fechar novos contratos, estabelecer um bom networking, apresentar novos produtos ou serviços, estreitar o relacionamento com os funcionários, entre outras estratégias.
Imaginando que seja uma palestra para motivar a equipe, por exemplo, normalmente ela não dura o dia inteiro e isso pede opções de coffee break com frutas variadas da época, cereais, pequenos sanduíches etc. Agora se for um congresso ou um simpósio, é preciso investir em uma alimentação nutritiva para manter os convidados atentos o dia todo, se possível, com um almoço bem variado.

Preste atenção no horário

A questão do horário em que será realizado o evento e, principalmente, a duração dele faz toda a diferença para determinar o buffet e seus diferenciais. Sendo assim, para que todo o cronograma seja um sucesso, veja a seguir o que combina em cada período do dia.

Manhã

A primeira parte do dia pede uma alimentação caprichada para dar conta de acompanhar o evento, isto é, com opções de pães, frutas, chás, iogurtes, acompanhamentos e demais guloseimas matinais. Caso a duração se estenda após às 12 h ou 13 h, torna-se interessante pensar em um brunch, serviço de origem britânica que junta o café da manhã e o almoço.

Tarde

No horário vespertino, vale pensar em opções de coffee break, afinal, é uma refeição que não leva muito tempo e contribui para a socialização entre os participantes. Para tanto, pode-se apostar em lanches rápidos e aquele bom e velho café preto, a fim de despertar os convidados e fazer com que a dinâmica do evento seja mais produtiva.

Noite

Já no período noturno, normalmente os buffets são voltados para opções mais glamourosas e estilizadas, mas isso não impede que haja ousadia de apostar em serviços de finger foods para os convidados ficarem mais à vontade se servindo com a mão. As opções de jantar variam bastante e podem ir desde pratos leves até os calóricos, porém, sempre como uma boa entrada para instigar o paladar.

Defina a localidade

Muito além de pensar no tipo de público, o objetivo e o horário, não podemos esquecer que é preciso encontrar o local ideal para a realização do evento. Para que não ocorra gafes no dia, vale pesquisar melhor sobre o clima da região, os costumes, as tradições, as tendências e, naturalmente, os tipos de alimentos mais comuns para aquela localidade.
Imaginando que seja uma convenção ou workshop realizado em Belém-PA, por exemplo, é possível acrescentar opções no almoço como o pato no tucupi, a maniçoba ou o tacacá, que são pratos típicos da região. No entanto, a escolha do cardápio dependerá muito se o público vem de fora ou é nativo da cidade, até mesmo para que ninguém passe mal.

Calcule a quantidade certa

Uma vez que os demais detalhes foram organizados, você deve pensar também na quantidade de alimentos servidos, visando controlar os gastos e otimizar os recursos financeiros. Para tanto, é interessante pensar em três grandes variáveis que vão influenciar os cálculos: o número de pessoas, o menu escolhido e o tempo de duração.
Caso o evento tenha um almoço ou jantar, por exemplo, vale pensar em porções consideráveis por pessoa para que não falte ou sobre demais, algo como:
• 80 g de arroz branco;
• 250 g de carne;
• 200 g de massas;
• 50 g de saladas;
• 2 fatias de bolos ou tortas;
• 5 a 8 unidades de salgados;
• 10 a 15 unidades de canapés.
Em relação às bebidas, a quantidade terá variação de acordo com a formalidade do evento e o período em que ele é realizado, isto é, algo mais sério pede que não haja abuso do álcool, já ocasiões com a pretensão de serem informais, como uma festa de confraternização, pode-se pensar em opções mais amplas nesse quesito.

Pesquise as restrições alimentares

Imagine que um grande fornecedor tem intolerância à lactose e o cardápio está repleto de derivados do leite — seria um grande mico, não é mesmo? Por isso, com o intuito de que tudo transcorra com naturalidade e as pessoas se sintam dispostas a acompanhar as atividades, torna-se indispensável pensar nas restrições alimentares dos participantes.
Considere que o menu tenha alternativas para quem não pode ingerir glúten, para as pessoas que tem problemas com o excesso de açúcar e aqueles que não comem nada de origem animal. Uma dica interessante é investir em ilhas gastronômicas específicas para essas restrições ou deixar bem claras as informações de cada refeição, cuidando para que nenhum convidado coma o que não pode por engano.
Para concluirmos, independentemente do tipo de evento, lembre-se sempre que uma boa refeição contribui para ter mais disposição, melhorar o raciocínio, dar a sensação de saciedade e, inclusive, unir as pessoas.
Gostou deste artigo a respeito do que servir em eventos corporativos? Quer ter uma noção melhor do que disponibilizar de entrada, jantar e sobremesa? Então aproveite que está por aqui no blog e veja o nosso catálogo para eventos corporativos!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *